Design Minimalista nos cosméticos

21:36

Nas minhas pesquisas diárias pelo Pinterest comecei a ver muitos banheiros lindos com embalagens de shampoos, condicionadores e sabonetes super minimalistas. A única que eu conhecia era a Aesop, então comecei a achar que as pessoas estavam usando embalagens minimalistas e comprando apenas refils (o que seria louvável). Mas também lembrei que aqui no Brasil conheço poucas marcas com esse tipo de incentivo (Natura e a L'Occitane)




Comecei a pesquisar mais a fundo e inclusive lembrei de algumas marcas que já tinha visto por ai (a fofa Glossier, por exemplo). E também comecei a olhar as embalagens cheias de informações e layout divertido com um certo ranço, porque nessa tentativa de se diferenciar as marcas acabaram ficando todas iguais e cansativas.

Com lojas na Oscar Freire e na Vila Madalena, a australiana Aesop tem 32 anos de mercado. Com design minimalista, funcional e sustentável, mas reconhecível de longe, as lojas também seguem a mesma linha de design com predominância da madeira e do cimento queimado.




A também Australiana Aspar vem de Aurora Spa Rituals, com 18 anos de mercado ela começou desenvolvendo produtos para hotéis e spas e só depois expandido para loja online e varejo na Austrália. Os ativos dos produtos são botânicos e livres de parabenos, lanolina, sulfatos, SLS, óleos minerais, corantes artificiais e fragrâncias. No caso da Aspar, acho que o design minimalista vem da origem dela, normalmente os produtos que vemos em redes de hotéis e spas costumam ter embalagens mais discretas por não precisarem ter um apelo comercial.




The Ordinary pertence a canadense Deciem (que detém mais nove marcas além da The Ordinary) e tem apenas cinco anos de mercado. A comunicação do grupo é bem prática e fluida, o que faz ainda mais sentido quando vemos o design minimalista dos produtos, tudo se comunica super bem <3 Os produtos da The Ordinary ficaram conhecidos por serem bem acessíveis (custam em média $20), o Sérum de $10 caiu nas graças da Kim Kardashian e dai não precisou muito pra marca ficar suuuper conhecida.

A empresa tem uma filosofia bem clara sobre não testar seus produtos em animais (não acredito que ainda precisamos falar sobre isso em 2018) até ai tudo ok, né? Eis que a Estée Lauder, grupo canadense dono da MAC,  comprou 28% da companhia. Como sabemos, infelizmente a MAC ainda faz testes em animais e quando comecei a pesquisa pra fazer esse post e descobri a compra achei que algo não fazia sentido.
Segui minha pesquisa e nessa última semana o caos foi instaurado na Deciem, desde Janeiro desse ano o Instagram da marca vinha sendo administrado pelo próprio Brandon Truaxe (CEO e fundador da Deciem). Que além das postagens bizarras, fez do perfil da marca um tipo de veículo de comunicação interna da empresa. Na semana passada as coisas sairam totalmente do controle e a ele foi substituído do cargo, a Elle fez uma matéria bem legal explicando todas as postagens com uma linha do tempo bem explicativa.
Espero que o grupo se recomponha e a marca mantenha a identidade minimalista e volte a ter a comunicação fluida e imagem idônea que fizeram o grupo e a marca crescerem tanto em tão pouco tempo.




Pra mim a marca que explica melhor o porquê o design minimalista pode ser um ótimo caminho para algumas marcas. A Brandless é uma marca norte americana que não vende apenas cosméticos, o portfólio deles é enorme e enlouquecedor (chateadissima porque eles não entregam no Brasil) eles vendem desde barras de cereal, molho de tomate, macarrão até creme de barbear, shampoo e pasta de dentes. Mas isso rende outro post!

A Brandless não tem logo, trabalha apenas com embalagens coloridas e um retângulo branco informando qual o produto e algumas caraterísticas dele. A empresa não trabalha com verba de Marketing e por isso não repassa esse custos para os clientes, ou seja, a marca não trabalha sua divulgação e possui apenas um e-commerce. Mas em contrapartida, oferece produtos de qualidade (sem sulfatos, sem ftalatos e sem fazer teste em animais <3) por $3 (alguns produtos possuem combos do tipo 3 produtos por $3).



A marca da blogueira Emily Weiss (do blog Into the Gloss) tem quatro anos no mercado e é focada em cuidados para a pele e mais recentemente, em maquiagem com o lançamento de sombras super pigmentadas. A ideia da Glossier é reduzir ao máximo a quantidade de produtos que usamos e manter o mesmo resultado final (amém!) e pra seguir esse alinhamento as embalagens, além de serem minimalistas e lindas, também seguem esse mesmo racional de desperdício. Além disso ela não testa em animais e a maioria dos produtos é vegana <3



Finalmente uma marca brasileira <3 fundada em Florianópolis pela Patricia Lima, a Simple Organic é orgânica, vegana e não testa em animais. Tem uma linha bem extensa de maquiagem com blush e iluminador (as embalagens mais lindas e minimalistas), batons, máscara de cílios, corretivos, delineador e demaquilante. E uma linha de cuidados para a pele com hidratante de abacate, sérum facial, manteigas de murumuru e cupuaçu. A marca já fez a beleza de quatro desfiles da A Lá Garçonne (marca do Alexandre Herchcovitch e do Fábio Souza) e nessa semana abriu o primeiro quiosque franqueado no shopping Batel em Curitiba.


You Might Also Like

0 comentários

Popular Posts

Formulário de contato

Nome

E-mail *

Mensagem *

Subscribe