Guia de Viagem - Buenos Aires | Parte 4

14:30



Feira San Telmo
Na primeira vez que estive em Buenos Aires fiquei em um hotel na Carlos Pelegrini (rua lateral ao lado da Av. 9 de Julio) e na manhã de domingo fomos até a feira de San Telmo seguindo sempre reto a 9 de Julio. Dessa forma conseguimos ver melhor o bairro e já chegamos vendo a feira na Praça Dorrego. Seguimos pela Calle Defensa e terminamos a feira novamente no centro (próximo ao nosso hotel).
Dessa vez começamos a feira no centro (próximo a Plaza de Mayo) pela Calle Defensa e seguimos reto até San Telmo. Não conseguimos nem chegar até a Praça Dorrego porque o passeio ficou muito cansativo (o dia estava maravilhoso, com uns 20 graus em pleno Dezembro. Mas a calle Defensa estava cheia de obras e isso prejudicou a feira). Então sugiro começar sempre da Praça Dorrego.



Mercado San Telmo
Da primeira vez acabei não enxergando o Mercado de San Telmo, dessa vez quem viu foram meus amigos rsrs. O mercado é um lugar bem legal pra conhecer, é repleto de lugares pra comer e lojinhas de antiguidade.
Não fotografei a feira, mas essa banca Filomena é bem o tipo de coisa que se vê fora do mercado também. As antiguidades ficam concentradas na Praça Dorrego, enquanto a Calle Defensa acaba ficando com os comerciantes que vendem souveniers.



Nessa última foto em cima da mesa vemos essas garrafas antigas com sifão. Antigamente elas eram usadas para manter sodas e refrigerantes com gás, por isso o sifão na ponta. Como são antiguidades, elas são caras e vendidas principalmente no Mercado de San Telmo e na Praça Dorrego.



A fila para tirar foto no banco com a Mafalda estava enorme (não vimos nem onde terminava). Pelo movimento, creio que quem não quer perder muito tempo em fila deva ir durante a semana.


Restaurante Shami
Na Calle Defensa tem vários restaurantes com muitas opções (principalmente opções com Ojo de Bife e bife ancho), mas o que chamou nossa atenção foi esse restaurante árabe super bem decorado e com uma equipe bem legal.


O sistema deles é o mais prático possível, os menus estão nas mesas mas os pedidos são feitos diretamente no caixa. O pagamento do pedido é feito no caixa antes de retirar o pedido e isso facilitou muito nossa vida, como falei lá em cima, Bsas tem um problema crônico em fazer comandas separadas.



A limonada deles com hortelã é maravilhosa, se limão não oxidasse eu teria levado mais uma garrafa pra tomar mais tarde. A batata é sequinha e o molho é bem suave e perfeito pra comer com a batata. Lá eles tem um cardápio bem extenso e bem árabe, tem esfirra, falafel, kebab.

Puerto Madero de dia




Como passamos o Ano Novo no Puerto Madero, resolvemos ir antes durante o dia pra conhecer ele das duas formas. Tentei levar o meu grupo na associação de pesca (onde fica uma porta giratória que fez parte da Art Basel no ano passado), mas depois de caminhar até a ponta do Puerto Madero descobrimos que somente associados podem entrar.   

Pizza Alla palla

 Como era véspera de Ano Novo, não acordamos cedo e resolvemos ficar pelos arredores da 9 de Julio para não cansarmos demais. Caminhamos pela 9 de Julio e entramos na Av, Córdoba, antes de chegarmos no Palacio de las Aguas Corrientes, paramos no Pizza Alla Pala.



Nessa viagem fiquei especialista em empanadas e ainda não tinha provado nenhuma folhada, no Pizza Alla Pala além de pizzas em pedaços, eles tem empanadas folhadas e donuts.  Pirei nesse piso em xadrez vichy, as embalagens também seguiam o mesmo padrão. 
Não lembro o valor das empanadas, mas de modo geral não paguei mais do que R$ 5,00 em uma durante a viagem toda. Pedi uma empanada de carne moída e além da massa ser folhada, o molho deles é sensacional. Os donuts custavam 24 pesos (R$ 2,40) mas eu não provei. 




Palacio de las Águas 
Seguimos reto a Av. Córdoba até a próxima quadra e chegamos ao Palacio de las Águas Corrientes, que estava fechado para visitação em função do Ano Novo. Essa é uma das construções mais bonitas de Buenos Aires, e as fotos que tirei nem conseguem mostrar o tamanho desse prédio e a quantidade de detalhes dele.





Riobamba, 750 (esquina Av. Córdoba)
Visitas de Segunda a Sexta das 9h às 13hs e das 14hs às 17hs
Visitas Guiadas nas segundas, quartas e sextas às 11hs

Congresso Nacional
Seguimos pela Riobamba até o Congresso Nacional, eu já tinha ido até o Congresso no dia que fui na Galeria Guemes (naquele dia caminhei 23,6km segundo o app do meu celular) e o dia ficou bem nublado quando cheguei lá. Nessa segunda vez o dia estava ensolarado e as fotos ficaram mais bonitas.



Em frente ao Congresso fica a Praça do Congresso e próximo a praça fica o Palacio Barolo (que ficou para uma próxima viagem a Buenos Aires, porque a lista de lugares pra visitar nunca acaba rsrs).
Av. Rivadavia 1864

Carrefour
Como era dia 31 de Dezembro o mercado funcionou até às 18hs. Aproveitei pra comprar vinhos e alfajores, já tinha pesquisado sobre os vinhos argentinos e não queria comprar nada muito caro (meu lema nessa viagem rsrs). Comprei um vinho rose pra levar no Puerto Madero e os da foto abaixo já são os vinhos que trouxe aqui pra casa, nenhum custou mais de 100 pesos (sim, 10 reais!!).



O único vinho dos que comprei que já tinha ouvido falar super bem é o Dadá, o restante comprei na sorte. O Nolita Sweet (que era o que eu tinha medo que fosse ruim, mas é ótimo), tem um frescor ótimo pro verão e é doce na medida certa.
O Dadá, como esperado, é o melhor deles (tomei e joguei a garrafa fora antes de anotar o número dele. O San Telmo, que também é vinho tinto como o Dadá, foi a minha decepção é basicamente um tinto sem gosto..




Puerto Madero - Noite de Ano Novo
Fomos para o Puerto Madero perto das 23hs e foi super tranquilo andar a pé pelo centro (já tínhamos feito caminhadas a noite no centro, mas não em direção ao Puerto Madero). As pessoas não usam branco na virada de ano como no Brasil, mas todo o restante é igual. O Puerto Madero estava lotado (principalmente a Puente de La Mujer), os bares oferecem festas fechadas nessa data mas encontramos outros que vendiam bebida e deixavam entrar sem necessidade de ter reservado (ficamos em frente ao Dandy Deli).
É um lugar bem tranquilo pra passar o Ano Novo, não vi nenhuma briga nem tumultuo e tinham muitas famílias. Voltamos para o hostel próximo das 6hs e não tivemos nenhum problema em fazer o trajeto a pé.



1ª DE DEZEMBRO - O QUE ABRE: Tive muita dificuldade em achar essa informação quando procurei no Google antes de viajar, então resolvi fazer um tópico sobre isso.
Para comer: Estavam abertos a Pizzaria Genova (Av. Corrientes 872) que serve umas empanadas bem boas, o Mostaza que é tipo um Mc Donalds de lá, o Kentuchy (Av. Corrientes 961) que aparentemente não fechou nem na virada de ano e foi o lugar que eu mais comi nessa viagem. O atendimento deles é ótimo no balcão e péssimo no salão, demoramos a entender que apenas as pizzas podiam ser pedidas nas mesas mais ao fundo do salão e no mezanino e nesse dia brigamos com os garçons.

O Kentucky que eu fui fica próximo ao Obelisco tem uma área para quem pede pedaços de pizza e empanas (me julguem, mas pra mim é uma das melhores), uma área de café com pedaços de torta, medialunas e sorvete de máquina. E uma área de self service com limonadas prontas, sanduíches frios e pedaços de tortas para levar.
Valores de 12/2018: Empanada 36 pesos (R$ 3,60) Combo duas empanadas + chopp por 120 pesos (R$ 12,00).
Outro lugar que abriu foi o Lucciano's do Puerto Madero, foi nesse dia que descobri que fui na gelateria errada e quase larguei tudo e desci até o Puerto Madero rsrs.

Compras: A maior parte dos kioskos estavam abertos , todos o mercados estavam fechados (incluindo o Carrefour 24hs), na Calle Florida algumas poucas coisas estavam abertas, uma delas era a Farmacity.
Metrô/ Trem: Os metrôs e trens funcionaram normalmente (com horários de final de semana).

Plaza San Martin    
Um dos meus filmes preferidos da vida é o argentino Medianeras, pra quem não viu o filme ele fala bastante da arquitetura de Buenos Aires e de algumas histórias da cidade. Uma delas é justamente a Plaza San Martin e o Edificio Kavanagh, então esse era um lugar que eu não queria deixar de fora do roteiro. Como quase nada abre no dia 1º de janeiro deixei esses passeios ao ar livre para esse dia.



Estação Retiro
A Estação Retiro não estava no meu roteiro, mas no meio da manhã recebi um áudio do restante do meu grupo (que foi para o Tigre) falando que a estação era linda e que eu devia ir até lá conhecer. A estação Retiro conta com linha de metrô e trem, os trens de lá vão para cidades vizinhas.



Essa estação tem um fluxo diário de 60 mil pessoas, mas como fui em um feriado estava super tranquila. Imagino que pra fotografar ela em dias de semana deve ser bem complicado.
Estação Retiro
Av. Dr. José Maria Ramos Mejia, 1430

Vinos Argentinos
Fui com um amigo que não tinha comprado nenhum vinho e também ia embora no dia 2 de Janeiro. Pelo que pude notar, esse era o único lugar aberto para comprar vinhos no dia 1º de Janeiro no Centro.
Os donos são brasileiros, o atendimento é impecável e além da decoração ser super bonita eles também tem uma área de degustação dos vinhos e espumantes (e aceitam reais).



Calle Tucumán, 565

You Might Also Like

0 comentários

Popular Posts

Formulário de contato

Nome

E-mail *

Mensagem *

Subscribe