Morando sozinha - Dicas de sobrevivência

13:24

Quando eu conto como fui parar em São Paulo, sempre digo que as coisas se encaixaram a ponto de eu ganhar até uma passagem de avião num sorteio do twitter (oi?).
Dei muita sorte também em ter uma amiga/irmã que me acolheu e dividiu apê comigo durante quase 2 anos. Até que um dia ela resolveu mudar o rumo da vida e me deixou sozinha, ou seja, cai de paraquedas nessa de morar sozinha.
Depois de passar por dois Estados (SP e SC) resolvi fazer uma listinha do que aprendi nesses quase 9 anos:


Ilustração: Manon de Jong


1º Compre apenas o essencial 
No primeiro momento dá vontade de comprar todos os itens de decoração da vida e transformar a casa num Pinterest maravilhoso, só que não dá pra fazer isso quando a casa tá completamente vazia e uma geladeira é bem mais importante.
O meu primeiro apê em São Paulo era um kitnet (graças a Deus, tinha geladeira, fogão e máquina de lavar) e graças a Marina (minha amiga/irmã) "herdei" vários utensílios dela <3



2º Faça uma lista de itens de decoração e separe seus desejos entre médio e longo prazo
Eu amo listas!! Me fazem ser mais centrada e ainda tem aquela coisa maravilhosa: dar ok no que foi feito.
Mesmo que você não tenha essa simpatia toda por listas, elas te ajudam a analisar o necessário e em quanto tempo você vai conseguir comprar as coisas mais legais pra casa.
Lembro que o primeiro artigo de decoração que eu comprei foi um cartaz "We can do it" na Fnac da Paulista e  ele era super barato. Mas como não queria pendurar na parede (ele é enorme), acabei pagando bem caro para emoldurar e mante-lo sempre no chão..
Mesmo assim foi uma das aquisições pra casa mais legais (não pelo quadro, mas pela lembrança que tenho do dia que fui buscar ele pronto <3). Atualmente ele é esse da imagem abaixo, com uma moldura bem resistente (valeu o investimento) é só trocar a arte e sempre tenho um novo quadro.



3º Tenha um controle de gastos mensais
Quando você não mora mais com os pais, é importante se preparar pra qualquer eventual problema no mês.
As vezes é uma gripe que faz a gente gastar a mais, as vezes é algum problema de manutenção no apê.
Ou como aconteceu comigo, o dono do apê pede o apartamento de volta, a reserva serve pra comprar o que você não tinha no antigo apê (quando o apartamento já tem alguns eletrodomésticos), pra fazer a mudança ou bancar alguma garantia pedida pelo proprietário.
Ter uma planilha no excel com gastos fixos, gastos do mês, salários e eventuais sobras (!) faz muita diferença. Quando der aquela vontade louca de ser rica, dá pra abrir a planilha e dar uma estudada na situação atual antes de se jogar nas compras.



4ª Tente alugar o imóvel direto com o proprietário
Já tive a experiência de alugar três vezes direto com o proprietário e um vez só com a ajuda de uma imobiliária. Não tive problema nenhum direto com o proprietário, alias o dono do meu atual apê é um senhor muito querido :) Já com a imobiliária tive que pagar até uma taxa de desocupação (oi?) no dia que fui entregar as chaves.
A dica é simples, escolha o lugar onde você quer morar e saia caminhando pelo bairro observando se alguma placa de aluga-se não tem logo de imobiliária. Pare nos edifícios que você se vê morando e pergunte na portaria se tem algum imóvel pra alugar direto com o proprietário.
Quando encontrei o meu segundo apê em São Paulo, tínhamos ido até o Copan pra minha irmã conhecer o terraço e na volta resolvi parar em alguns prédios na Praça Roosevelt pra perguntar se tinha algum apartamento disponível. Em um deles o porteiro me falou que tinha até a chave, olhamos o apê e no final (depois de buscar bastante), consegui contato com o dono e entramos em acordo <3




5º Compre móveis adaptáveis 
Se você já tem mobília, é importante medir o novo apê antes de fechar o contrato e já visualizar onde cada móvel vai ficar. Parece bobo, mas agir no impulso e não planejar o espaço de cada coisa pode virar um grande problema se na hora da mudança algum móvel não caber de jeito nenhum.
No meu atual apartamento, o quarto tem muitos armários e precisei pensar muito até conseguir configurar o quarto da melhor forma.
Se o apartamento é alugado, é importante lembrar que os móveis não ficarão pra sempre naquele espaço. Quando me mudei pra um kitnet na Praça Roosevelt (sacadinha linda, porém super apertado) precisei deixar a geladeira na sala porque o apartamento tinha um corredor como cozinha. O banheiro era enorme, então comprei um armário bem básico pra servir de apoio na organização.
Depois disso, já morei em mais dois apês e o armário multiuso já me ajudou a organizar a vida em um quarto de vestir e agora, anda na cozinha do novo apê.

6º Viva o apartamento e a sua companhia
Por mais amigos que se tenha, é impossível manter a casa cheia sempre e provavelmente depois de um tempo você nem vai querer rsrs Uma das coisas mais legais de morar sozinha, é chegar em casa e escolher se você quer ou não companhia.
Com o tempo, sem notar, a gente cria rotinas e descobre que é muito legal passar um tempo só com a gente e é uma das melhores formas de descansar de verdade. Também não faz sentido morar sozinha sem viver o apartamento de verdade, se for só um lugar pra você dormir não faz muito sentido assumir tudo sozinha, não é mesmo?
Uma das razões de eu gostar tanto de decoração é justamente a ideia de que qualquer imóvel pode virar a minha casa, basta eu colocar tudo lá dentro e tcharan: é meu apê!!




7º Não confie só no delivery
Com a oferta de tantos sites legais de delivery (e muitos cupons) é possível que nos primeiros meses você ache que essa é a única solução de quem mora sozinho.
Estabeleça um dia na semana, ou uma vez a cada duas semanas para pedir delivery e no restante dos dias tente preparar algo em casa. Uma ótima forma de "viver o apartamento" é usar a cozinha de vez em quando :)



8º Estabeleça rotinas de limpeza
Li uma vez que pra facilitar a rotina de casa, devíamos separar determinado tempo do dia pra deixar uma tarefa de casa feita. No meu caso se fizer isso, vou acabar nunca enxergando a casa incrivelmente limpa, então o fator motivacional vai ser zero no meu caso.
O que eu faço é pegar um dia da semana e fazer tudo, assim me permito chegar em casa e relaxar sem compromisso com a casa e em um dia que estou mais agitada, limpo tudo e fico felizona de uma vez só!
P.S: Pra louça não virar um problema em casa, tente não ir dormir com a pia cheia de louça. Se acontecer, lá em casa acontece sempre rsrs, não saia de casa pro trabalho sem zerar a pia. Parece ridículo, mas funciona mais do que deixar tudo acumular.



9º Adote um bichinho de estimação
A minha família sempre teve gatos e quando me mudei não tinha como levar ninguém comigo. Passei 3 anos e meio em São Paulo olhando gatos pra adoção e sonhando em adotar um.
Mudei para Santa Catarina e continuei com a mesma vontade, foi então que uma amiga que trabalhava comigo passou na frente de uma agropecuária e viu uma gatinha pra doar. No horário do almoço passamos lá e eu conheci a Amélie (que na época não tinha nome e tinha uma carinha de triste). A noite a Amélie já estava na minha casa <3
Não custa lembrar que até pra adotar um bichano, é importante dar uma bela olhada no orçamento. Idas ao veterinário para tomar as vacinas obrigatórias, castração, alimentação e areia higiênica precisam entrar naquela planilha do excel.


You Might Also Like

0 comentários

Like us on Facebook

Subscribe